Pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) alertam para a possibilidade de a queda da temperatura com a proximidade do inverno interferir no comportamento da população do estado, facilitando a transmissão da Covid-19.

O último boletim do Sistema de Alerta Climático para Enfermidades Respiratórias, do Laboratório de Climatologia (Laboclima) da UFPR, já aponta que entre os dias 11 e 17 de abril, quando a temperatura começou a ficar abaixo de 20°C, os níveis de alerta climático ficaram elevados no Paraná, variando entre médio-alto e alto. O alerta é calculado semanalmente a partir do cruzamento de dados climáticos do Simepar com o boletim epidemiológico da pandemia da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

“Quanto mais alto o nível de alerta, mais as condições climáticas estão propícias para aumentar a transmissão. Não por interferência no vírus, mas sim no comportamento das pessoas”, explica o pesquisador Wilson Roseghini, um dos coordenadores do Laboclima e professor do departamento de Geografia da UFPR.

“Com o frio, esse alerta tende a ficar maior. Isso porque as pessoas ficam mais em locais sem ventilação, não abrem as janelas de casa, do trabalho ou do ônibus por causa do frio. E ambiente fechado e sem ventilação é ideal para o coronavírus”, completa Roseghini.

Além disso, o coronavírus encara menos barreiras para se dispersar no inverno, que costuma ser um período seco. Com menos umidade no ar, o vírus encontra menos dificuldades para se dissipar, ficando em circulação no ar mais tempo, também aumentando a chance de contágio. “A umidade forma gotículas maiores de água, que acabam levando o coronavírus e outras partículas para o solo. Só que no inverno as precipitações são menos comuns”, explica o geógrafo.

Importância da ventilação
Diante disso, o coordenador do Laboclima orienta a população, em especial os comerciantes, a ficarem ainda mais atentos à circulação de ar dos ambientes nos dias frios, além das medidas sanitária preventivas de sempre: máscara, distanciamento social e higienização das mãos.

“É claro que em um dia muito frio fica difícil para um restaurante, por exemplo, manter as janelas abertas o tempo todo. Então ele tem que ficar atento à quantidade de pessoas no lugar e, quando der, sempre ventilar”, recomenda A médica Marion Burger, infectologista da prefeitura de Curitiba, enfatiza que a ventilação dos ambientes no caso do coronavírus deve ser feita o ano todo, já que a Covid-19 não é uma doença sazonal, como a gripe, mas sim uma enfermidade pandêmica que ocorre em todos os meses. Mas ela lembra que no inverno essa ventilação fica dificultada pelo frio, o que pode impactar não só na transmissão da Covid-19, como em outras doenças, em especial as respiratórias.

“No caso da Covid-19, a ventilação dos ambientes tem que ser mantida ao longo de todo o ano. Mas como no frio a tendência é de as pessoas fecharem as janelas, a recomendação é de que elas sejam abertas no mínimo entre quatro a cinco vezes por dia, por 15 minutos, para haver troca do ar”, recomenda a infectologista da prefeitura.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui