O atropelamento ocorreu na noite de sábado (9) na BR-376, próximo ao portal da cidade, na saída para Apucarana.

O animal, uma onça-parda ou puma, também conhecida no Brasil por suçuarana e leão-baio, estava às margens da rodovia quando foi encontrada, já sem vida.

De acordo com Antonio Gerônimo, funcionário da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, que passava no local logo após o ocorrido, o animal foi atropelado por um veículo de pequeno porte, dado aos ferimentos que não foram de grande monta.

O animal foi retirado do local por um veículo guincho.

Antonio comentou que provavelmente o animal estaria cruzando a pista em busca de alimento. Ele informou depois que “depois que se iniciou a orientação aos produtores para cercarem as matas ciliares ou seja beira dos rios, criou-se um corredor verde por onde elas se locomovem sem a interferência humana. E nem mesmo o barulho dos maquinários impedem que esses animais circulem livremente. Muitas são vistas em nossas áreas rurais e até família inteiras com filhotes”.

A onça não ataca o ser humano, e caso alguém se depare com uma, não deve sair correndo, pois o animal poderá interpretar que se trata de uma presa. Porém, muitos acham que a solução é matar o bicho.

De acordo com o sub-tenente Prado, comandante do 3º Pelotão de Policia Militar Ambiental  de Apucarana, o abate de animal silvestre é crime afiançável com pena de detenção de 6 meses a 1 ano e multa, conforme ART 29 lei federal 9605/98.  O agravante ocorre quando se usa arma de fogo sem registro. No caso de atropelamento, dificilmente se enquadra como crime.

Um veículo guincho da concessionária que administra a rodovia, CCR/Rodonorte, retirou o animal da pista.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui