Imagem: SEJUF/PR

O Procon-PR vem atendendo normalmente o consumidor desde o início da pandemia do coronavírus, em março, através de várias plataformas online, de forma a evitar aglomerações. Como as audiências estão suspensas, o órgão, vinculado à Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, passou a notificar os fornecedores de produtos e serviços para que apresentem uma solução às reclamações formalizadas pelos consumidores num prazo máximo de 10 dias úteis.

“A medida excepcional, que evita aglomerações e preserva o consumidor, objetiva dar endereçamento às reclamações apresentadas pelos cidadãos, através dos processos administrativos já formalizados. Na prática, exige dos fornecedores a solução para o problema do consumidor sem que haja a necessidade de reunir as partes em audiências, o que é desaconselhável nesse momento”, avalia o secretário Ney Leprevost.

Além das reclamações individuais, o Procon-PR vem também investigando denúncias de preços abusivos, o que já gerou a notificação de mais de seiscentos estabelecimentos comerciais.

A chefe do Procon-PR, Claudia Silvano, alerta que a partir do recebimento das notificações os fornecedores devem manter contato com os consumidores para resolver o problema apresentado. Não havendo a solução nos prazos apontados, a empresa está sujeita a multas que variam de seiscentos a oito milhões de reais.

À medida em que as notificações são sendo emitidas, os consumidores  são informados pelo Procon-PR por telefone sobre o novo procedimento.

“É importante, após o recebimento das ligações do Procon-PR pelo consumidor, que estes fiquem atentos, já que os contatos realizados pelos fornecedores após o recebimento das notificações possivelmente se darão também por telefone”, finaliza Claudia.

 

Fique atento aos canais de Atendimento do Procon-PR no Estado do Paraná

consumidor.gov.br:

CLIQUE AQUI

FAÇA SUA RECLAMAÇÃO NO LINK ABAIXO (para reclamações contra empresas que não participem da plataforma acima):

RECLAMAÇÕES

NO LINK ABAIXO VOCÊ PODE DENUNCIAR ABUSOS NOS PREÇOS DE PRODUTOS:

DENÚNCIA ABUSO DE PREÇOS

(Com informações da SEJUF/PR)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui