Imagem: Mayara Folco /Record Minas

A Polícia Civil de Minas Gerais informou hoje (5) que a mulher, autora do vídeo sobre caixões encontrados com pedras e madeira em Belo Horizonte, poderá responder por até 3 crimes e ter uma condenação de até 9 anos de prisão.

De acordo com o o delegado Wagner Sales, a autora da fake news, poderá responder pelos crimes de denunciação caluniosa, difamação contra o Prefeito da capital mineira, o qual ela cita no vídeo, e contravenção penal de propagação de pânico. A mulher poderá ser presa, pagar multa em valor estabelecido pela Justiça.

Peritos da Polícia Civil de Minas Gerais estão trabalhando para encontrar a autora da gravação que viralizou na internet.

Nós mesmo aqui da redação, recebemos via celular, o vídeo que já estava duplicado, ou seja, teria passado por muitas pessoas antes de chegar até nós.

O delegado Wagner Sales, juntamente com Rodrigo Damiano que é delegado do 1º Departamento de Polícia Civil de Belo Horizonte, deram uma coletiva para a imprensa onde informaram que o serviço de inteligência vai comparar sotaques de regiões do interior do estado para monitorar dados de redes sociais e assim chegar até a suspeita.

Mesmo que a gravação tenha sido feita em outro estado brasileiro, os policiais precisarão seguir os sinais já detectados, nesse caso a mulher dá a entender que está falando de Minas Gerais, disse o delegado Sales. Ele ainda completou que toda investigação começa pelo mais simples até chegar ao mais complexo. Se houver possibilidade de que o sotaque tenha sido forjado, as investigações seguirão outros linhas.

Assista ao vídeo falso clicando aqui.

Não replique Fake News

Mesmo com toda informação que há hoje pedindo para que as pessoas analisem as mensagens recebidas e pesquisem antes de reenviá-las, um número muito grande de pessoas insistem em compartilhar sem confirmar a veracidade.

Apelo da Polícia Civil

A Polícia Civil fez um apelo para que a responsável pela fake news se apresente em qualquer delegacia para prestar esclarecimentos.

Se isso não ocorrer, será pedida a prisão preventiva da mulher., mesmo sem a sua identificação.

Segundo os delegados, já existem consequências econômicas e sanitárias do coronavírus que estão prejudicando o país, e em meio a tudo isso, uma pessoa, de forma irresponsável e criminosa, vai nas redes sociais produzir, publicar e propagar esse tipo de vídeo.

A sugestão da Polícia Civil é que a população haja com responsabilidade.

(Com informações do site R7)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui