O boletim da dengue divulgado nesta terça-feira (10) pela Secretaria Estadual da Saúde confirma 52.652 casos da doença no Paraná, são 8.211 a mais que o informe anterior, que totalizou 44.441 registros. O número de óbitos confirmados também aumentou, passando de 30 para 37.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, também autorizou o repasse de mais de R$ 794 mil para custeio e aquisição de insumos para 35 municípios. “Esta é a segunda etapa de recursos que o Governo do Estado libera nos últimos 15 dias e seguimos com uma grande força-tarefa coordenada pelo Comitê Intersetorial de Controle da Dengue, promovendo ações de combate em todas as regiões”, afirmou.

Recursos – A primeira etapa de liberação de recursos, baseada na resolução 190/2020, repassou R$ 3,30 milhões para 118 cidades em situação de epidemia e de alerta para a dengue. Os valores, disponibilizados de acordo com o número de habitantes e situação endêmica, já foram depositados em contas do Fundo Municipal de Saúde.

Esta segunda etapa, de acordo com a resolução 227/2020, autoriza repasses entre R$ 18 mil a R$ 100 mil e os valores serão depositados nesta semana.

“Os municípios deverão investir em capacitação de profissionais para atuação no controle da dengue, confeccionar material informativo para orientação sobre a prevenção ou adquirir equipamentos e insumos utilizados no controle do vetor da doença”, complementa o secretário.

A previsão é que o Governo do Estado aporte R$ 5 milhões para o auxílio aos municípios. “Ainda teremos mais uma terceira etapa de complementar de recursos, que chegaremos aos R$ 5 milhões destinados ao combate e prevenção da doença”, disse o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

De acordo com o boletim de hoje são 124 municípios em situação de epidemia no Paraná e outros 50 em situação de alerta.

O maior de todos os prolemas são as pessoas que não levam a sério a situação e mantém focos do mosquito em suas residências.

Dados – Dos sete novos óbitos por dengue confirmados nesta semana, cinco são pessoas que residiam em Maringá, uma em Santa Cruz do Monte Castelo, na região Noroeste, e outra em Barbosa Ferraz, no Centro-Oeste.

A Secretaria de Estado da Saúde realiza nesta semana, em parceria com as secretarias Municipais de Saúde, atividade de remoção mecânica de criadouros do mosquito Aedes Aegypti em Bandeirantes, Sertaneja e Medianeira. Na semana anterior o trabalho foi desenvolvido em Barbosa Ferraz.

Nesta ação, os técnicos da Vigilância Ambiental investigam minuciosamente os pontos críticos que estão servindo de criadouros e fazem a eliminação técnica, inclusive com aplicação de larvicida em caso de necessidade.

“Com este trabalho conseguimos diminuir substancialmente os índices de focos e infestação nos municípios de Nova Cantu, Quinta do Sol e Florestópolis e vamos replicar a atividade. Mas, a ação técnica é uma das frentes de combate, nossa principal orientação é para que a população participe e também faça a remoção de criadouros, fazendo uma limpeza geral nos quintais e terrenos, eliminando locais que possam acumular água parada e abrigar focos do mosquito”, destacou Beto Preto. (informações da SESA)

A situação da 16ª Regional e Califórnia

O município de Califórnia tem sete casos em investigação, porém, os municípios vizinhos estão com casos confirmados.

Marilândia do Sul tem 5 casos confirmados e Mauá da Serra 7. Em Apucarana já são 58. No município de Arapongas são 68 casos confirmados. Jandaia do Sul já confirmou 16.

O município de São Pedro do Ivaí, é o que tem mais casos confirmados. Nesta semana o município atingiu 109 casos.

Dos municípios que compreendem a 17ª Regional de Saúde, somente Cambira e Novo Itacolomi ainda não registraram casos neste ano epidemiológico.

Outros municípios próximos

Dois outros municípios muito frequentados por moradores de Califórnia estão com números elevados.

Londrina já registra 6.046 casos, porém, há 1.296 em investigação.

Maringá tem 2.315 casos confirmados e 2.390 sendo investigados.

A responsabilidade é do cidadão

Cuidar do quintal e denunciar áreas que estejam suscetíveis à proliferação é essencial para parar o avanço da dengue.

Somente neste ano, os casos confirmados saltaram de 23.141, registrados em 7 de Janeiro, para os 52.652 registrado hoje. Um aumento de quase 130% nos casos registrados.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui