Imagem: Polícia Militar
Um homem, de 64 anos, foi preso no Bairro Portal do Lago, em Apucarana, na tarde deste domingo (22), depois de fazer comentários ofensivos contra policiais que executaram um trabalho preventivo com abordagens em Zona Rural do município.
Entenda o que aconteceu

De acordo com informações do 10º BPM da Polícia Militar de Apucarana, tudo começou depois da postagem de uma notícia, informando que Policiais Militares da Patrulha Rural Comunitária do 10ºBPM , da Polícia Ambiental e Guarda Municipal, haviam realizado um trabalho preventivo com abordagens de 44 veículos nas regiões de São Pedro do Taquara, Pinhalzinho, Correia de Freitas e Barreiro. A Operação foi realizada na tarde e noite de sexta-feira (21), entre 16h30 e 21h30.

Logo após a veiculação da notícia,  chegou ao conhecimento da equipe policial, que realizou a Operação,  que um indivíduo teria feito comentários ofensivos aos militares durante o exercício de suas atividades.

Policiais Militares da Patrulha Rural Comunitária do 10ºBPM , da Polícia Ambiental e Guarda Municipal, realizaram um trabalho preventivo com abordagens de 44 veículos nas regiões de São Pedro do Taquara, Pinhalzinho, Correia de Freitas e Barreiro. Foto: Polícia Militar

De acordo com a Polícia Militar, o comentário foi feito na rede social “Facebook”, na página de uma emissora de TV de Apucarana.

Nos comentários do homem constava o seguinte dizer: “esses coitados dependem dos veículos e vem esses ratos para tomar o trabalho deles”.

Na interpretação da Polícia o mesmo insinuava que os Policiais Militares estariam realizando o trabalho com o único objetivo de prejudicar as pessoas que passavam pelo local. E assim desacatou pela rede social os Policiais Militares que estavam trabalhando.

A Polícia Militar vem realizando Operações na Zona Rural visando o combate aos crimes e coibindo a ação de bandidos. Foto: Polícia Militar
O Homem foi preso em casa e encaminhado ao Cartório da Polícia Militar

Diante dos fatos e da demonstração deliberada de desacato àquelas autoridades, foram realizadas diligências no sentido de localizar o autor do comentário, sendo identificado pela sua página na rede social que este morava no residencial Portal do Lago, em Apucarana.

Uma equipe policial foi até o endereço onde foi recebida pelo próprio autor dos comentários, um senhor de 64 anos, o qual no primeiro instante se mostrou irritado com a equipe, alegando que estariam tirando a sua liberdade e o seu direito de expressão, sendo necessário repetir e orientá-lo por diversas vezes quanto à ilegalidade de sua conduta.

No local foi realizado contato, também, com a esposa do autor, a qual impôs à equipe que o seu marido não iria de forma alguma junto com os policiais.

A equipe informou aos envolvidos sobre a condução até a sede do cartório para a confecção do Termo Circunstanciado, mesmo assim, de dentro da residencia este relutava em acompanhar a equipe da Polícia Militar.

O autor dos comentários acionou uma advogada, e após a chegada da mesma, foram encaminhados até o Cartório da PM para as devidas providências.

O que disse a Polícia Militar sobre o caso

Em nota, o Major Vilson Laurentino da Silva informou sobre o posicionamento do 10º BPM da Polícia Militar em relação às redes sociais. O Major disse que não é possível tolerar essa postura de desacato em redes e que tomarão providências quando isso ocorrer.

Em sua declaração o Major disse que “essa situação, de desacato em redes sociais, não podem passar sem que sejam tomadas as devidas providências legais cabíveis. Ele ressaltou que, em cada Operação Policial Militar, é traçada uma estratégia com o objetivo de combater o crime e auxiliar o cidadão. No caso específico, os moradores  abordados durante a Operação “ARRASTÃO RURAL”, foram tratados com cortesia e respeito pelos Policiais Militares e Guardas Municipais que lá estiveram e grande parte dos abordados agradeceu o trabalho  da polícia, informando que sentiam mais segurança e tranquilidade para eles e suas famílias. Portanto, é inoportuno e incompreensível que uma pessoa vá à Rede Social desacatar e destratar um profissional de Segurança Pública, que está trabalhando e melhorando a Segurança do trabalhador da zona rural e de suas famílias”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui