Imagem: Ilustrativa

O caso, registrado como lesão corporal e violência doméstica por volta das 19h09 deste domingo (8) em Apucarana, PR.

Um rapaz de 23 anos em uma crise de namoro, lançou um veículo contra a motocicleta da namorada, causando-lhe diversas lesões.

A Polícia Militar teria sido informada de que na Avenida Santa Catarina, na altura do número 957, no Jardim Apucarana, teria ocorrido um acidente de trânsito e uma mulher estaria bastante ferida.

Chegando ao local a equipe foi informada que a mulher já teria sido encaminhada para o UPA (Unidade de Pronto Atendimento) por um veículo que passava por ali.

Colhendo informações junto às pessoas que estavam no local, foi informada que o veiculo VW/Parati, placas CVBN-7772, de cor preta, estava seguindo a motocicleta, uma Honda/Biz, Placas ANE-3840, de cor vermelha, em alta velocidade.

Populares contaram que o condutor da Parati encostava na traseira da motocicleta acelerando e freando continuamente com o veículo.

Em determinado momento, próximo ao CISVIR o condutor jogou o carro contra a moto danificando bastante os dois veículos.

A moça, condutora da Biz teve múltiplos ferimentos e fora encaminhada para atendimento médico.

As pessoas contaram que após bater contra a moto, o condutor desceu do veículo, foi até a mulher, lhe agarrou pelo pescoço e agressivamente dizia para que não chamasse a Polícia.

Testemunhas contaram também que, enquanto agredia a mulher, ele olhava para as pessoas e perguntava se “nunca tinham brigado com a namorada”.

Com a suspeita de que o acidente teria ocorrido de forma proposital, os policiais descobriram que já havia Boletim de Ocorrência envolvendo o casal por suposto desentendimento.

Interrogado, o condutor contou que havia a moça possuía uma medida protetiva contra ele e que ambos se acertaram e ele passou a vê-la outra vez.

Ao condutor que estava no local, foi dada voz de prisão.

Parentes do condutor, um primo e o próprio irmão, relataram que o casal vinha brigando há muito tempo e que o rapaz a ameaçava de morte.

Ao levantar os documentos do agressor, foi verificado que o mesmo não possuía habilitação para conduzir o veículo e, portanto o mesmo foi entregue a uma pessoa habilitada no local.

A motocicleta Biz foi levada para o pátio do 10ºBPM/Detran.

Submetido ao teste de alcoolemia constatou-se que o condutor também estava embriagado, pois contatou-se 0,31 mg/l de álcool no sangue, o que não caracterizava crime, mas cabia uma notificação por embriaguez ao volante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui