O Governo do Estado lançou nesta quinta-feira (17) o Paraná Solidário, aplicativo criado especialmente para promover a doação direta entre os cidadãos e as entidades beneficentes. A tecnologia, idealizada pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, com apoio técnico da Celepar, é uma ponte entre empresas e pessoas físicas que queiram doar para instituições produtos como alimentos, roupas, móveis, eletrodomésticos, ração para animais.

O lançamento da plataforma fez parte da programação da Semana Paraná Inovador, evento que acontece no Palácio Iguaçu desde quarta-feira e até este sábado (19) e reúne startups, empresas, influenciadores e empreendedores para debater sobre inovação.

Disponível nas versões Android e IOS, o aplicativo Paraná Solidário pode ser instalado de graça e possui todas as informações necessárias para o repasse direto, sem intermediários, a entidades que atendem crianças, adolescentes, idosos, mulheres, indígenas, pessoas com deficiência e em situação de rua e de animais abandonados.

O secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, afirmou que o aplicativo vem para inovar, conectando os que querem fazer o bem e ajudar a quem mais precisa. “Final de ano é um momento no qual percebemos um aumento de iniciativas voltadas a doações. Como forma de auxiliar a sociedade, lançamos esse aplicativo que será uma forma prática de efetuar os repasses”, disse.

COMO FUNCIONA – Para doar, é preciso baixar o aplicativo e fazer o cadastro com informações pessoais, o que torna o processo mais seguro, pois é possível saber com quem está sendo feita a transação. A partir daí, é só selecionar a categoria do que se quer doar e publicar o anúncio, ou seja, colocar a descrição do produto e fotos.

O doador pode escolher a entidade que receberá o item ou deixar que o sistema do Paraná Solidário escolha, entre três opções randomicamente, quais entidades necessitam daquela doação em um raio de 50 quilômetros. A finalização é feita por uma conversa no chat do aplicativo, combinando dia e local de entrega.

O aplicativo pode ser instalado de graça e permite doar alimentação, calçados, cama/mesa/banho, higiene/limpeza, material escolar, vestuário, eletrodomésticos e eletroeletrônicos, livros, itens esportivos, veículos e muito mais.

ACESSO A ENTIDADES – De acordo com o coordenador de Gestão e Informação da secretaria, André Telles, a plataforma permite que o usuário tenha acesso a todas as entidades cadastradas próximas. A partir de filtros de pesquisa, ele pode também escolher o público e a forma como deseja ajudar. “O funcionamento do aplicativo é simples e rápido, desenvolvido especialmente para que qualquer pessoa possa doar sem burocracia”, disse.

CADASTRADAS – A ferramenta começa a operar com cerca de 50 entidades cadastradas, todas elas parceiras da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho. Outras instituições podem se cadastrar diretamente no aplicativo, desde que tenham CNPJ.

Uma das primeiras instituições beneficiadas é o Asilo São Vicente de Paulo, de Curitiba, que atende cerca de 160 mulheres. A entidade já contava com uma logística para a arrecadação de doações – que são usadas no próprio asilo ou vendidas em um bazar para arrecadar fundos para a instituição.

“Essa tecnologia vai ampliar as doações e a captação de recursos. Com certeza será de grande valia para a nossa instituição e para todas as outras. As pessoas que querem fazer a doação saberão como fazer e quem precisa daquela ajuda”, afirmou o padre José Aparecido Pinto, diretor-geral do asilo e coordenador da Ação Social do Paraná. O Paraná está dando um salto importante junto às instituições na questão da doação”, salientou.

A Associação das Amigas da Mama, que presta atendimento e assessoramento a mulheres com câncer de mama, também está cadastrada. “O aplicativo vai abrir novas portas. A associação não tem ajuda financeira em nenhuma esfera, só conseguimos funcionar por meio de doações de pessoas e empresas parceiras”, disse a presidente Macarcy Engelbert. “A ferramenta vai mostrar às pessoas que as instituições precisam de coisas que às vezes elas nem imaginam, como materiais de escritório, que é o nosso caso”, destacou.

(Com informação e imagens da Agência Estadual de Notícias)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui